O angolano João Samuel Caholo, Secretário Executivo Adjunto da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), destacou a importância do Corredor do Lobito para o desenvolvimento da região, em particular as repúblicas da Zâmbia e do Congo Democrático.

João Caholo justificou a sua posição pelo facto do chamado Corredor do Lobito, integrado pelo Caminho de Ferro de Benguela (CFB) e o Porto do Lobito, de águas profundas, ter servido muito para o crescimento e desenvolvimento da economia zambiana após a sua independência.

Estrategicamente, disse, o CFB foi afectado pela guerra que houve em Angola, daí que a Zâmbia optou por usar outros portos, como os da Tanzânia e da África do Sul, o que tem sido mais caro e distante para a importação de produtos para o país, pelo que devem regressar a utilizar o porto angolano para facilitar o crescimento económico de Angola.

De acordo com o responsável, Angola e a Zâmbia encontram-se em momento de paz e é importante que as duas partes, sobretudo os dois ministros dos transportes, trabalhem para acelerar o desenvolvimento da cooperação bilateral no sector. Deu ainda a conhecer que o Executivo está a levar a cabo um amplo programa de reconstrução das infra-estruturas rodoviárias, aeroportos e pontes, a fim de facilitar o funcionamento do referido corredor.

Para o efeito, anunciou que até 2013 os comboios do CFB vão chegar até a região do Luau, província do Moxico, o que poderá acelerar o processo de integração regional.

O responsável da SADC recordou ainda que existem vários projectos para relançar a economia da África Austral, estando Angola a trabalhar para relançar o Corredor do Namibe, que poderá servir países como a Zâmbia, faixa de Caprivi (Namíbia), até mesmo o Botswana, através da região do Kuando Kubango.