Na sequência da rejeição do decreto sobre a reforma do trabalho portuário espanhol por parte do Congresso de Deputados, o sindicato 'Coordinadora' veio esta tarde a terreiro anunciar a desconvocação das greves previstas para os dias 17, 20, 22 e 24. Através da divulgação de um comunicado, a 'Coordinadora' confia que «a partir de agora, abrir-se-á um processo negocial sério».

O decreto foi hoje chumbado com 175 votos contra e 33 abstenções contra 142 votos a favor, e os primeiros ecos da rejeição foram de apelo ao entendimento entre as partes desavindas - a 'Coordinadora' dá assim um passo rumo à criação de nova plataforma negocial, com fim à obtenção de um acordo para a implementação de um novo regime da estiva em Espanha. 

«A partir de agora abrir-se-á um processo negocial sério entre todas as partes implicadas, que pretenda dar resposta às directrizes europeias e que devolva a estabilidade ao sector», comunicou o sindicato, que havia acusado o Executivo de não buscar uma negociação justa e o patronato de não elaborar propostas dignas de discussão.  «O dia de hoje significa um ponto de partida para uma negociação efectiva (...) para melhorar o sistema portuário», avançou a 'Coordinadora'», aludindo à votação no Congresso de Deputados.