As três gigantes nipónicas do shipping anunciaram os planos de integração dos seus negócios na área contentorizada com o estabelecimento de uma 'joint venture', com efeito a partir de 1 de Julho de 2017, e de serviços conjuntos ('joint service') a partir do dia 1 de Abril de 2018. O acordo abrange tanto o negócio de transporte marítimo como o negócio dos terminais portuários (aqui apenas terminais fora do Japão) das companhias.

A Kawasaki Kisen Kaisha (K'Line), Mitsui OSK Lines (MOL) e Nippon Yusen Kaisha (NYK) referem que a decisão de integração surge como resposta às difíceis tendências do setor: fretes de carga contentorizada a níveis historicamente baixos; excesso de oferta de capacidade; entre outros. A colaboração nos tráfegos Este/Oeste decidida em maio de 2016 com a criação da THE Alliance «foi também um factor» para esta maior colaboração entre as companhias japonesas, admitem.

Os três armadores japoneses são parte da THE Alliance, na qual têm como parceiros a Nova Hapag-Lloyd (agora com a UASC), a Yang Ming mas também a falida Hanjin Shipping.

O transporte marítimo contentorizado continuará a ser o grande negócio das três companhias mas o negócio será redefinido com base na consolidação que traz a 'joint-venture'. A K'Line e a MOL terão participação de 31% na 'joint venture', enquanto que a NYK fica com 38%.

No total, a oferta da 'joint venture' contará com uma frota de porta-contentores para 1,4 milhões de TEU, tornando-a no sexto maior operador à escala global - com cerca de 7% da capacidade mundial.

Os terminais fora do Japão e outros negócios como o 'bulk shipping', ferries e logística não estarão dentro desta fusão.

O acordo está agora pendente apenas das devidas autorizações das autoridade da concorrência - com 'luz verde' entrará em prática a 1 de Julho do próximo ano.

A consolidação no setor parece estar para ficar e os rumores apontam que a próxima fusão deverá acontecer entre Evergreen Marine Corp, Yang Ming Line e Wan Hai Lines.