Começou no passado dia 14 de Novembro e será novamente estendida: a greve do Sindicato dos Estivadores, Trabalhadores do Tráfego e Conferentes Marítimos do Centro e Sul de Portugal perdurará até dia 21 de Janeiro de 2016, executado que foi hoje novo pré-aviso de greve (com incidência nos portos de Lisboa, Setúbal e Figueira da Foz) por parte da força sindical. 

A greve envolverá os trabalhadores portuários efectivos e aqueles que tenham vínculo contratual de trabalho portuário de duração limitada, cujas entidades empregadoras ou utilizadoras sejam Empresas de Trabalho Portuário (ETP) ou empresas de estiva em actividade naqueles nos referidos portos, numa greve que se estende às empresas titulares de direitos de uso privativo na área portuária.

O motivo da greve decretada prende-se com os intentos das empresas de estiva de treinarem e recrutarem mão-de-obra desnecessária, que apenas tem como objectivo de "aniquilar os actuais profissionais da classe", segundo afirmou, em comunicado, a força sindical, que acusa as entidades empregadoras de "impor aos actuais trabalhadores portuários do porto de Lisboa intervenções que não são de índole profissional" e de perpetrar condutas ilegítimas que viola a boa-fé contratual.